Honrar Pai e Mãe! Somos arquitetos do futuro!

Alt="imagem de maos em formato de coração, honrar pai e mãe"

Honrar Pai e Mãe!

O que siginifica “Honrar Pai e Mãe”, que tanto ouvimos em sessões de constelação familiar. Quantas vezes você já escutou seus pais reclamarem de algo e pensou, “nossa isso nem é um problema, se fosse eu resolveria fácil”.

Quanta arrogância nossa, em nos achar melhores e maiores quando julgamos o comportamento dos nossos pais, afinal eles já trilharam um longo caminho que nós estamos apenas começando. E quando olhamos diferente para os nossos pais?

Redescobrindo a essência

Quando temos filhos! Sim, ter filhos é uma montanha-russa de emoções. Medo, felicidade, frustração, conquistas.

 Quando nos tornamos adultos e pais, reencontramos nossa criança interior,  muitas vezes esquecida em meio às preocupações do dia a dia, pois somos engolidos pela rotina e a pressa de conquistar coisas materiais.

 Ao buscarmos ser os melhores pais que podemos ser, acabamos nos distanciando da nossa essência, moldados pelos rótulos da sociedade e do mundo corporativo, e assim vamos nos emaranhando no sistema familiar.

A busca pela perfeição e as armadilhas da maternidade e paternidade, como honrar pai e mãe

Ao nos tornarmos mães, tentamos nos encaixar na idealização de sermos melhores do que nossas próprias mães. Evitar os erros que julgamos(do nosso ponto de vista), terem sido cometidos e, assim, acumulamos uma rede de fracassos e culpas por não conseguirmos alcançar o ideal que estabelecemos. 

Acreditamos na imagem de uma família perfeita, como aquela que víamos na infância(dos comerciais de margarina), e nos frustramos quando a realidade não corresponde às nossas expectativas.

Na interação com nossos filhos, reaprendemos a brincar e a nos conectar com nossa inocência perdida. Porém, voltamos aos jogos de esconder, chutar bola, brincar de casinha, fazemos de tudo, buscando a alegria contagiante das gargalhadas dos pequenos. 

Esses momentos nos fazem repensar nossas posturas diante de nossos próprios pais. Porém percebemos que, ao julgá-los, saímos do lugar de filhos e caímos na arrogância de acreditar que poderíamos fazer melhor.

Nesse momento, retorna a mente, momentos da infância, onde começou muitos dos nossos traumas e bloqueios e vamos culpando nossos pais, por tudo que não tivemos ou não fizemos.

A importância de reconhecer a contribuição dos nossos pais

É fundamental compreender que temos os pais certos para nós. Eles nos deram a vida, (e só isso já deveria ser motivo de gratidão), pois eles abriram caminhos para o nosso desenvolvimento, pois mesmo que nem sempre tenham sido perfeitos. Sejam eles presentes ou ausentes, eles nos proporcionaram possibilidades. 

Assim como toda criança ama seus pais incondicionalmente, é necessário observar com cuidado nossos próprios julgamentos para não cair em lealdades invisíveis que nos fazem desequilibrar o sistema familiar.

O caminho do autoconhecimento e a constelação familiar

Ao buscar o autoconhecimento, mergulhamos em busca de quem somos verdadeiramente. Porém esse processo, descobrimos, pois que trazemos conosco as crenças e os traumas familiares. 

A constelação familiar pode ser uma ferramenta poderosa, porém para compreendermos as dinâmicas familiares e encontrarmos equilíbrio na maternidade e paternidade.

 Ela nos permite olhar de uma forma diferente, ao ser conduzida através do Constelador as frases de cura sistêmica, pois as raízes e para os sistemas em que estamos inseridos, porém para que possamos nos reconectar com nossa essência e sermos pais mais conscientes e amorosos. 

Retornando para nosso lugar de filhos, e dando lugar a todos que pertencem ao nosso clã.

A repetição de padrão do sistema

Ao decidirmos pela busca de quem somos, paramos para analisar nosso comportamento, em muitas vezes infantil, e percebemos alguns padrões de repetição.

Como por exemplo: A avó se separou, a mãe se separou e você também se separou, pois começamos a ter um olhar diferente, para o que antes era normal ou coincidência.

Reconectando-se com a essência para sermos pais melhores

Ao nos tornarmos pais, pois redescobrimos a criança que habita em nós e repensamos nosso papel, percebendo que agora não tem mais quem culpar, temos que nos auto responsabilizar por nossas escolhas.

É importante deixar de lado a busca pela perfeição e compreender que cada um de nós tem uma jornada única. Porém reconhecer e agradecer, a contribuição dos nossos pais é essencial para encontrarmos equilíbrio nas nossas relações. 

Conclusão

Em suma, o autoconhecimento e a constelação familiar,porém podemos encontrar caminhos para nos reconectar com nossa essência e sermos pais mais conscientes e amorosos, proporcionando um ambiente de amor e acolhimento para nossos filhos.

Leia também: O que são as Ordens do Amor?

Leandra Siqueira

Leandra Siqueira

Consteladora e Terapeuta Holística

Compartilhe nas mídias

Comente o que achou:

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.